sexta-feira, 25 de outubro de 2013

KABBALAH: ESPIRITISMO JUDAICO?




A kabbalah não é assunto fácil,        Teria sido inicialmente revelada por Deus aos arcanjos e um deles Raziel (segredo de Deus) Passou esse conhecimento a adão, um livro teria sido escrito chegando a Noé e depois a Abraão e depois legado a Jacó a Levi e assim a Moises e depois passado as demais gerações, até os dias de hoje.

Dois dos seus textos mais importantes são o SEPHER YEZIRAH, ou livro da criação e o ZOHAR livro do esplendor,.Há alguns meses, recomecei o estudo do espiritismo de Kardec, e em alguns momentos encontrei semelhanças incríveis entre os fundamentos do espiritismo e alguns ensinamentos kabalisticos. Animei-me então a fazer essa comparação, principalmente para meu aprendizado pessoal. Na pagina 24 do livro dos espírito, tradução de J. Herculano Pires, Editora Emec,1996, há um resumo da doutrina espírita, mas vou preferir aqui, utilizar o resumo dos princípios listados por Mario Kaúla no seu livro “A Paz é o Caminho” na sua página 47;Eis o que o autor coloca como principais pontos doutrinários do espiritismo(Existência de Deus, Imortalidade da alma, Comunicabilidade dos espíritos, Reencarnação e pluralidade dos mundos  Que diz a Kabbalah sobre cada um desses princípios

   1.Existência de Deus.  Esse é um tópico essencial a todas a religiões sendo o judaísmo uma das mais antigas e sendo a kabbalah  uma leitura mística da torá, claro está que há uma concordância total e esperada sobre este primeiro princípio.Existe Deus.

    2.Imortalidade da alma Sobre este  segundo ponto , a revista MORASHA Nº46, tratando da Cabala, apresenta um artigo sobre a imortalidade da alma, afirmando que um dos fundamentos do judaísmo é a crença na imortalidade da alma e  na vida após a morte,sobre o tema diz o rabino Shimon ben yochai, no Zohar; ¨Sabei que vossas almas são imortais”.

     3. Comunicabilidade dos espíritos. Zev ben Shimon Halevi no livro Universo Cabalístico, no capítulo sobre o sobrenatural diz que a raça humana adquiriu conhecimentos sobre o mundo do além, por comunicação direta ou indireta dos espíritos superiores. Que algumas vezes apareceram no passado em forma angelical.O Zohar alerta porem para termos cuidado com entidades desencarnadas e suas comunicações que nos atraem para os seus níveis inferiores e seus comunicados não vem das esferas superiores.são enganadoras. Essas observações do Zohar se referem também ao momento do sono, quando a alma se libera do corpo.

    4. Reencarnação Em hebraico  Reencarnação é gilgul que significa  "ciclo".  As almas passariam por  "ciclos ou  " Reencarnações ", em diferentes corpos aptos  a particular atividades que se tem se desempenar no mundo físico e de acordo com o  nível espiritual de cada um.Essa crença cabalística seria referendada em I Samuel 25, 29, sobre almas sendo arremessadas para longe, como as pedras de uma funda de volta a vida.

Diz a tradição que passamos  por um período post-mortem de purificação ou purgatório, que parece equivaler ao conceito de umbral do espiritismo.Dependendo dessa purificação e julgamento, algumas almas ascenderiam ao céu , outras descem novamente na carne ou descem ao Gehinnom(inferno). Mas todos esses termos Céu, purgatório e inferno são alegóricos de estados do ser. A maioria das almas é repetidamente mandada de volta para viver na terra a fim de ganhar experiências que não poderiam ser obtidas no mundo espiritual. Esse processo pode ocorrer por vários milênios afirma Zev bem Shimon Halevi no livro Universo Cabalístico.Diz ainda o autor  que nesse processo evolutivo através do gilgul, atuam a Providencia divina e o livre-arbítrio. A providencia levaria a que nada seja totalmente acidental e não surja nenhum evento sem relevância, sem causa ou propósito na nossa vida. A Providencia colocaria cada um em contato com a tarefa para a  qual nasceu, colocando pessoas ou situações em seu caminho que coincidem exatamente com a sua necessidade naquela existência.Será dentro dessa situação que seremos chamados a usar o livre-arbítrio.

Assim, o nascimento ou o renascimento não são acontecimentos fortuitos, mas uma operação cuidadosamente organizada sob supervisão do céu.

    5. Pluralidades dos mundos habitados.

“ muitos são os mundos nos quais eles circulam, e cada ciclo é maravilhoso de muitas maneiras ocultas, mas homem algum sabe ou entende essas coisas”diz o Zohar sobre a reencarnação.Em  certo ponto este maravilhoso livro chega a descrever alguns mundos e a caracterizar os seus habitantes.

Destaque-se ainda o processo obsessivo estudado pelo espiritismo e que na cabala e no folclore judaico é conhecido como dybbuk, também escrito dibbuk, no plural dybbukim, , é  um espírito desencarnado que, devido a pecados passados  , erra sem descanso até encontrar  um corpo de uma pessoa viva  para possuir. O cabalista Isaac Luria (1534–72), foi quem formou a base da crença no  dybbuk com sua  doutrina da reencarnação (gilgul), que ele via como um meio através do qual a  alma poderia continuar sua  tarefa  em busca do aperfeiçoamento. Há igualmente a ideia do ibur que consiste na ajuda dos bons espíritos no cumprimento das tarefas que nos compete em uma encarnação podendo para isso ocorrer o concurso de varias almas elevadas, afirma Tova Sender em “Iniciação a Cabala”.

Perispirito: definido pelo espiritiamo como corpo semimaterial que estabeleceria a ligação do espírito com o corpo físico na Cabala seria, o  Corpo de Ressurreição; uma  imagens (tzelem) ou semelhança (demooth) do  homem  morto; uma figura espiritual interior fundamental que persiste depois da morte e cuja qualidade depende da elevação espiritual do falecido. É o "Espírito dos ossos, mencionado em Daniel e Isaías e nos Salmos, e se refere a visão de Ezequiel quando  fala de revestir de vida os  ossos secos.   (Kabbalah, folleto de la Sociedad de Publicaciones Teosóficas, tomo II, número 18.)  

 Diferenças marcantes dentre várias;

1. Jesus. Para o espiritismo Jesus é um espírito muito evoluído e que serve de modelo a ser seguido para nosso aperfeiçoamento. O zohar nada diz sobre Jesus,dizem ainda os espíritas que ele seria o governador da terra. Já para a cabala, Enoque, após ter sido levado por Deus, sem passar pela morte foi transfigurado no arcanjo Metraton, transformando-se no Espírito da presença que age em nome de Deus, supervisionando e instruindo a humanidade.

  2.A existência de Almas gêmeas. O zohar ensina que nossa alma tem um gêmeo que foi criado conosco misticamente unidas, mas ao serem enviada para a terra, são separadas em macho e fêmea só Deus sabe quem são e só ele pode uni-las novamente. Os grandes amores nem sempre acontecem entre as alma gêmeas, mas pode ocorrer entre o que chamam de almas companheiras.

              Para o espiritismo na máxima: Fora da caridade não há salvação, estão contidos os destinos do homem sobre a Terra e no céu. Sobre a Terra, porque, à sombra desse estandarte, eles viverão em paz; e no céu, porque aqueles que a tiverem praticado encontrarão graça diante do Senhor. Esta divisa é a flama celeste,  coluna luminosa que guia os homens pelo deserto da vida, para conduzi-los à Terra da Promissão.

              Para o mistico cabalista, o caminho a seguir  é a comunhão com Deus e é chamado devekut considerado o mais alto degrau no caminho espiritual para a comunicação com o divino.

              Ao fim, destas rapidíssimas considerações, nos parece que não houve com Kardec, uma revelação de algo novo, mas uma divulgação de antigos princípios. O estudo da Cabala foi por séculos proibida e restrita aos judeus do sexo masculino e casados e com mais de 40 anos, mas agora é dada a todos o direito de estudá-la.

Nenhum comentário:

Postar um comentário